Avaliação Psicológica

avaliacao_psico2

A avaliação psicológica é uma importante atividade técnica do profissional da Psicologia e costuma ser solicitada em diferentes contextos e situações: nos processos seletivos admissionais, em concursos públicos, emissão de carteira de motorista, porte de arma, complementar em perícias de deficiência ou doença mental, questões de guarda parental / separação conjugal, transtornos de aprendizagem, dentre outros.

É habitual em nossa prática ouvir agradecimentos pela elucidação do que foi solicitado, mas também críticas relacionadas aos resultados de um processo de investigação psicológica. O parecer por vezes “desfavorável” a certa demanda, todavia,  pode incentivar o sujeito a buscar suprir aquilo que se constitui uma defasagem ou incapacidade. O ser humano é muitas vezes capaz de superar crises e inaptidões, desde que devidamente assistido.

A avaliação psicológica permite uma análise objetiva da realidade psíquica da pessoa e não exige um acompanhamento prolongado. O relatório de avaliação psicológica sintetiza informações necessárias para o planejamento terapêutico por profissionais de saúde mental, para a definição de medidas judiciais, para que educadores repensem estratégias pedagógicas e adaptações curriculares, assim como pode se constituir numa ferramenta útil para o sujeito desenvolver áreas de sua personalidade que, naquele momento, demonstraram estar abaixo do seu potencial.

avaliacao_psico3

Como processo, passa por alguns procedimentos fundamentais:

  1.  Entrevista de anamnese: possui o objetivo de recolher informações sobre o motivo da avaliação, as expectativas, história de vida, história escolar (e/ou profissional), afetiva, clínica e intervenções ou atendimentos complementares ou já realizados, dentre outras, conforme a especificidade da demanda.
  2. Aplicação de provas psicológicas: com base nas informações colhidas o psicólogo seleciona uma bateria de testes, escalas (questionários) e técnicas psicológicas reconhecidas e autorizadas pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP), podendo ser utilizadas por acadêmicos de psicologia, desde que devidamente supervisionados por psicólogo habilitado.
  3. Interpretação e análise dos resultados: de posse dos resultados das provas e da análise dos informes da história do sujeito é feita a interpretação. Caso persistam dúvidas ou inconsistência de resultados, poderá ser solicitada a complementação diagnóstica através de outros testes psicológicos ou investigação clínica com profissionais de outras áreas.
  4. Relatório de avaliação psicológica: o relatório é elaborado sempre com a finalidade de atender a demanda de um solicitante, sendo a linguagem técnica acessível ao entendimento dos resultados e busca das indicações quando sugeridas.
  5. Entrevista devolutiva: é uma entrevista breve de finalização do processo e constitui-se no momento em que são explicados os achados da avaliação e emitida as indicações de acordo com estes, esclarecendo eventuais dúvidas que possam ter surgido.

Psicóloga Esp. Ana Lúcia Nedel Paz

CRP 07/04835

Ambientoterapeuta da Clínica CAFE

1

 

 

Anúncios